Se não deu certo, não deu certo agora...

E se não deu certo? Não deu certo agora...

De repente, aquele romance com cara de amor, que logo te fez criar mil expectativas, vai por água abaixo. Ele mora no rio, ela em Brasília.; ela vai para Barcelona estudar 6 meses; ou ele tem 35 anos, ela 19... fazer o que? Nada de desespero. Vamos pensar um pouco: As coisas nunca acontecem como deveriam. Todos, no fundo, já sabem bem disso. Alguns chamam de acaso, mas iremos chamar de “graça da vida”. Sim, isso mesmo... a parte boa! Voce quebrou a cara agora, mas as coisas mudam, o que vai volta, volta melhor ou nem volta, porque o lugar já foi bem ocupado. Não deixe sua mente te trair, porque ela é o nosso maior inimigo. Em tempos de redes sociais, ninguém vai sumir. O que tem que ser aprendido é que o desespero não traz nada de útil, apenas te corrói mais do que própria dor da perda, sem falar que afasta qualquer pessoa. Muitas vezes, uma relação não dá certo, mas é o que se pode ter naquele momento. Paciência, a vida dá voltas e mais voltas. Hoje em dia, mais ainda. Continue vivendo com a mesma alegria de antes que o melhor irá acontecer. Cresça, aproveite a fase de solidão para gostar mais de você. Lembre-se que estar com amigos é sempre ótimo e, como já ouvi por aí: “havia uma versão de você antes do namoro tão boa ou melhor daquela que existia quando estava namorando”. Divirta-se, evolua, Prepare-se. De repente a vida dá outra volta e aquele antigo amor reaparece. E, surpresa!Os dois, agora, estão prontos. E Aqui começa a verdadeira diversão: Quando as pessoas estão em plena posse de si mesmas, quando sabem realmente o que são, e são quem são. Só assim podem verdadeiramente se abrir para outras pessoas. Quando você deixa de tentar tirar das pessoas o que elas não podem lhe dar, começa a aproveitar o que podem lhe oferecer. As pessoas podem compartilhar mundos inteiros umas com as outras, mas primeiro tem que ter acesso a seus próprios mundos Então, que tal pensar assim daqui para frente: o que não deu certo, não deu certo agora! Sem essa de ficar remoendo dores, eternizando perdas, reclamando da vida, enfim, fechando portas. Nada pior do que se acostumar com o sofrimento. Muitas pessoas pensam que sofrer significa ter alguma coisa. E preferem a dor ao nada. Nunca, nunca caia neste engano. O nada não existe. Sempre haverá você, o mundo, e uma vida que liga os dois a milhões de possibilidades a cada dia. É mais fácil reclamar da vida do que lutar pelos sonhos. Lembre-se: a vida não é justa, mas você escolhe entre chorar ou sorrir.

Conrado Muylaert é músico, compositor e escritor. Seu primeiro livro, "As coisas que eu sinto só por te olhar" foi lançado em 2014 pela editora Giostri.


Nenhum tag.